quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Literatura Marginal - Derrubando muros

Literatura marginal

Na terça-feira, 19 de março, o campus euro-latino-americano da Sciences Po serviu de palco para o talento de dois escritores brasileiros singulares e de cenário para a exposição da chamada “literatura de periferia”, criada em São Paulo.
Ferréz, romancista, contista e poeta brasileiro, e Rodrigo Ciriaco, professor, militante e escritor, fazem parte da chamada “literatura marginal”, que descreve a vida na periferia de São Paulo e que é produzida por artistas que lá nasceram e lá vivem até hoje.
Em um conversa dinâmica e informal, ambos os artistas proveram, juntos, uma prazerosa experiência para os alunos que os ouviam. A descoberta da literatura marginal demonstrou-se interessante, não apenas, para uma reflexão mais ampla a respeito da definição de literatura, de arte, de artista, mas também, para uma discussão acerca das desigualdades que fundamentam o abismo entre as classes sociais em São Paulo e, em geral, no Brasil.
Os escritores declamaram trechos de seus livros, encenaram suas histórias e forneceram uma amostra de sua história e de seu universo: a história e a realidade da periferia. Mais do isso, os poetas apresentaram sua maneira de pensar, de escrever, de perceber o mundo, de mudar o contexto onde vivem. Eles presentearam a platéia com uma arte completamente nova aos olhos dela e certamente atiçaram sua curiosidade.
Se, em duas horas, numa simples noite de terça-feira, esses artistas foram capazes de apresentar um universo inteiramente diferente daquele familiar aos alunos, certamente, suas obras são capazes de permitir a seus leitores que mergulhem nesse novo mundo e compreendam um pouco melhor a dimensão da alteridade que marca suas vidas:
Dois mundos, dois cenários, duas culturas, duas realidades, dois universos vizinhos, coabitando em um mesmo país, em uma mesma cidade, em um mesmo bairro, em uma mesma rua, separados por um muro que mais parece ter porte de uma muralha.
Pelo menos alguém quer derrubá-la e parece saber como.

Nenhum comentário:

Postar um comentário